El ultimo carteado

Esse é o texto mais difícil que já escrevi aqui.

Quem me conhece sabe que sou péssimo para despedidas, por mais que elas façam parte inevitável das nossas vidas o tempo todo. Sou apegado àquilo que eu gosto, às pessoas que eu gosto, e tenho dificuldade de lidar com momentos como este. Esse momento, portanto, não deixa de ser um exercício de desapego e de aprendizado de vida. Como tudo aqui no Carta na Manga foi para mim durante esses 11 anos.

Queridos, sem mais delongas: nossa trajetória se encerra por aqui.

Não se trata de cansaço, falta de vontade, nada disso: o fato é que tem sido impossível conciliar as atividades do Carta com minha vida pessoal e profissional. Quer dizer: sempre dá, no fundo até teria como, mas não do jeito que eu gostaria que isso aqui seguisse. Não capaz de manter um nível e periodicidade mínimos, que sejam aceitáveis dentro daquilo que eu acredito, dentro do propósito que este espaço sempre teve. O propósito de me tornar um jornalista melhor, uma pessoa melhor também.

O Carta na Manga me abriu muitas portas e, principalmente, me trouxe muitos amigos. Foi onde eu realmente aprendi a escrever e pude aprimorar o texto, a minha capacidade argumentativa, de dialogar, de ouvir opiniões contrárias com o respeito que elas merecem. Um projeto onde desde o princípio deixei aberto meu time do coração, mas no qual procurei ao máximo nunca ser clubista (por sinal, e neste sentido, ele iniciou num momento de glória do rival e termina numa fase esplêndida do meu time). É um projeto lindo e pelo qual sempre terei o maior orgulho e carinho. E justamente por isso não quero, e nunca deixei, ao menos a meu juízo, deixá-lo baixar o nível que julgo mínimo para sua manutenção.

Tranquilizo os nossos ouvintes: o Carta na Mesa não termina. Segue semanalmente fazendo parte da programação da Rádio Estação Web. Os programas poderão ser baixados para os que não puderem ouvir ao vivo, disponibilizados no site da emissora, normalmente.

Obrigado por tudo, amigos.

Com carinho,
Vicente Fonseca

Comentários

Franke disse…
Jamais achei que meu comentário no penúltimo post teria tanto sentido.

Onde vou agora ler sobre futebol? :/
Vicente Fonseca disse…
Se é pra te indicar um sucessor, lê o Trivela. É o melhor conteúdo de futebol que conheço na internet. Não vai baixar o nível, te garanto.

Obrigado por tudo, especialmente pela compreensão. É duro, mas inevitável.
Franke disse…
Em protesto, pararei de ler sobre futebol e vou me dedicar inteiramente à literatura sobre standing paddle.

Muito obrigado por todos esses anos de Carta!
Lourenço disse…
Um brinde ao Carta! Um baita espaço em que sempre se discutiu futebol em bom nível, sem clubismo excessivo ou agressões que interditam o bom debate. Não sei como conseguiste, mas conseguiste isso. Parabéns, Vicente. Todos que já passaram por aqui nesses 11 anos certamente são gratos.
Vicente Fonseca disse…
É que eu não fiz nada disso sozinho. Como eu sempre disse nesse período todo, vocês é que fazem esse espaço comigo. E por isso que eu é que sou grato por tudo.
André Kruse disse…
É uma pena. Vou sentir falta (não só dos textos como dos bons debates que se seguiam nos comentários)
Vicente Fonseca disse…
Obrigado, André! Grande abraço.
Anônimo disse…
Pena, pois é difícil achar bons textos sobre os jogos do Grêmio por aí. Mas obrigado por todo esse trabalho para nós leitores.
Marcelo disse…
Pô, vou sentir bastante falta. Entrava aqui depois de toda rodada pra ver as análises e os comentários. Uma pena. Sucesso pra ti!
Vicente Fonseca disse…
Obrigado, Marcelo! Vou sentir bastante falta de vocês. Sucesso pra ti também. Grande abraço.

Para o amigo anônimo também. É muito bom saber e receber o carinho de vocês.
Paul disse…
Uma lástima, mas perfeitamente compreensível.

Também sou péssimo para despedidas, então serei breve.

Caríssimo Vicente, parabéns pelo belo trabalho realizado aqui no Carta, tenho certeza que toda tua audiência fica um pouco orfã a partir de hoje.

Seguimos juntos no Carta na Mesa.

Um grande abraço meu velho!

Paul
Vicente Fonseca disse…
Paul, sem palavras. Muito obrigado pelo carinho de sempre!
Marcus Staffen disse…
Grande Vicente!

Que noticia! Leio tudo que publicas no Carta. É uma pena!

Muito sucesso! E não para de escrever!
Os fanáticos por futebol clamam por textos de qualidade.

Um grande abraço!

Marcus Staffen
Vicente Fonseca disse…
Muito obrigado por tudo, Marcus! Saudade de ti. Vamos ver se um dia desses a gente se encontra na Arena. Grande abraço!
Marcus Staffen disse…
Claro, vamos sim. Vou te mandar um e-mail com meus contatos.

Abraço.
Vine disse…
Repetindo o Franke: onde vou ler agora sobre futebol?

Fico muito triste com a notícia, mas compreendo bastante. Tu mesmo já disse que um dos requisitos para se manter um blog é ter uma frequência de publicações razoável, coisa que, imagino, estava difícil manter.

Desejo sucesso na vida profissional.

Grande abraço
Vicente Fonseca disse…
Obrigado, Vine. Tu é um dos leitores mais antigos e um dos amigos que fiz aqui. Gracias por todos esses 11 anos de boas conversas por aqui.

Forte abraço!
Entendo tua decisão, velho. Quando tu não consegue manter algo que gosta de fazer, da maneira que tu gostaria de manter, a coisa meio que perde a graça. Os programas na rádio foram assim.

Mas não há como deixar de lamentar. Teu espaço era o que mais gostava de ler sobre futebol, junto com o finado Impedimento. Espaços qualificados assim fazem muita falta em meio ao chorume de estrelinhas oportunistas que preferem falar muito mais do clube do coração do que de futebol visando a autopromoção.

Como os guris comentaram, vai ser difícil achar outro espaço assim pra ler. Tá cada vez mais difícil. Mas seguimos.

A nós que acompanhamos tua trajetória por 11 anos, desde os tempos que o blog tava na plataforma do uol, só temos a agradecer.
Vicente Fonseca disse…
Fred, muito obrigado por tudo. Não foi uma decisão fácil, mas necessária. Vou guardar com muito carinho todos esses momentos, desde a Era Uol, onde Rômulo e Herrera embalavam as nossas esperanças.

Grande abraço!
Diego Rodrigues disse…
Vicente;

Por ser fã e leitor assíduo do blog, lamento profundamente essa notícia, embora entenda, respeite a me solidarize com sua decisão.

Conheci seu trabalho por acaso, através de amigos que temos em comum, e, desde então, assim como para os demais que já comentaram aqui, o Carta na Manga passou a ser o primeiro espaço que procurava para ler comentários e análises após cada rodada do campeonato. Incontáveis foram as vezes em que passei madrugadas inteiras lendo seus textos antigos e ouvindo as edições passadas do Carta na Mesa. Creio já ter lhe dito isso: para mim, mais que jornalístico, seu trabalho teve um papel educativo. Aprendi muito sobre futebol, dentro e fora de campo, lendo seus textos. Obrigado por isso!

Tenho certeza de que não é um ciclo que se encerra, mas outros tantos que se iniciam. Desejo ao amigo novos desafios e muito sucesso em todos eles!

Grande abraço!
Vicente Fonseca disse…
Diego, fico realmente emocionado de ler tuas palavras, cara. Eu é que agradeço por todo esse carinho. É muito bom saber que este espaço era tão querido por vocês, eu realmente não tinha noção de tudo isso. Muito sucesso pra ti também. Abração!!
Lique disse…
Che, foi um prazer imenso poder acompanhar essa jornada por mais de uma década. Faço coro a todos os elogios feitos, merecidíssimos. Um trabalho feito com excelência, atenção e muita ética, que, tenho certeza, vai continuar a pautar tua vida, dentro e fora de campo. ;)

Abração, professor!
Vicente Fonseca disse…
Lique, o prazer foi todo meu. Nossa amizade é um símbolo do que o Carta representou pra mim nesse período. Muito obrigado por tudo, mesmo. Grande abraço!!!
Vine disse…
Tu não tinha noção de tudo isso porque todos éramos teimosos: vínhamos ler teus textos, mas nunca comentávamos. hahahaha
Chico disse…
Puta merda!

Santana morre. Carta fecha. Onde vou ler sobre futebol de verdade? Sobrou o Zini pra ler?!(pavor)

Como marido traído, fui um dos últimos a saber. Uma grande lástima saber que redutos do futebol clássico vão se fechando.

Sucesso nos próximos projetos e um grande abraço.





José Eduardo disse…
Bah, Professor, que pena! Uma lástima!

Conheci o Carta por acaso, em 2010, graças aos comentários que o André Kruse fazia no Twitter. Como o André é muito criterioso em suas análises e ele sempre elogiava o trabalho do Carta, logo vi que podia confiar. Nunca me arrependi de aqui entrar para ler sobre o que fosse.

Tua calma ao dissertar sobre qualquer assunto me ajudou a amadurecer ao escrever e analisar sobre o que eu escrevia. Muitas vezes, quando ainda militava no Toda Cancha, procurava reproduzir o teu estilo de escrita nos momentos de caos. Quanto todos pareciam procurar uma cabeça pra degolar ou uma faísca pra fazer um incêndio, tu vinhas aqui e acalmava os ânimos, sempre de forma ponderada.

Os teus textos nunca fugiram daquilo que o blog se propunha: análise e opinião. Como faz falta isso na imprensa convencional.

Sinto uma certa culpa, pois também não comento com certa frequência aqui; na verdade, tem sido difícil até ler certos textos, dada a correria do dia a dia. Meus principais momentos de leitura são no ônibus e no banheiro (substituindo o velho jornal pela tela do celular).

Espero lê-lo em plataformas esporádicas, como a Corner e o Puntero Izquierdo. Ou em meios alternativos, como El País Brasil ou BBC Brasil.

Aguante!
Vicente Fonseca disse…
Meu amigo Chico, muito obrigado por todo o carinho. Para ler, sugiro o Trivela, jornalismo de excelente qualidade. Em relação às minhas opiniões, tu sabe que qualquer churrasco, jogo do Grêmio ou janta no Parrilla estão aí para a gente botar a conversa em dia.

Grande abraço!
Vicente Fonseca disse…
Zezinho, vocês me CORAM de vergonha com tantos elogios. É uma alegria enorme saber que eu tive o poder de te servir de inspiração, cara! Não sabia mesmo que eu tinha tanta responsabilidade naquilo que sempre escrevi e fiz aqui.

Muito obrigado por tudo. É por conta de amizades como a tua que eu sempre agradeço e agradecerei o Carta na minha vida. Não fosse por ele, não conheceria gente tão legal como tu. Não esquece de avisar um dia que vier pra capital: o Carta na Mesa segue firme e a tua presença na bancada é sempre uma honra pra todos nós.

Fuerte abrazo!
Igor Natusch disse…
Foi um imenso privilégio. E segue sendo, vida adentro, que ainda tem muita vida por aí.

Grande abraço e seguimos!