Dez anos de Carta, dez anos de gratidão

A vontade de escrever sobre futebol era tanta, dez anos atrás, que decidi não esperar atuar profissionalmente na área para começar. Os blogs como ferramenta jornalística ainda engatinhavam: eram poucos os veículos que tinham colunistas do tipo. Mas quando a gente quer muito algo, encontramos algum meio de realizá-lo. Eu ainda não era formado em 25 de agosto de 2006, estava no final da faculdade, mas decidi, também impulsionado por colegas de faculdade que adoravam conversar comigo pelos corredores da Fabico sobre futebol, abrir um espaço online para tratar do tema. Justo eu, que tinha na época preconceito com blogs, que ainda eram por muitos tratados como diarinhos pessoais na internet, espécie de rede social pré-Orkut.

Pois, passada uma década daquela manhã de sexta-feira, posso dizer que foi uma das decisões mais acertadas que já tomei. O Carta na Manga nunca me rendeu um centavo diretamente, também porque nunca foi esta a minha pretensão. Nunca gerou milhões de cliques, porque este também nunca foi o propósito deste espaço. Começou com um local onde amigos poderiam conversar sobre futebol, e na verdade sempre continuou sendo. E, no dia em que perder esta característica, será o dia em que deverei encerrá-lo.

O nosso único propósito foi sempre o de manter um nível razoável de análises, um tratamento profissional ao jornalismo futebolístico, onde quem quisesse participar estava mais que convidado a passar por aqui. Com aprofundamento, mas acima de tudo respeito, diálogo e bom nível de discussão, que é o que sempre entendi que mais faz falta nos veículos hoje. Os números de audiência, de comentários, de acessos, nunca foram e nunca serão nossa prioridade. Pode parecer até um pouco egoísta de minha parte, mas o sucesso do Carta, para mim, sempre foi medido pela satisfação pessoal e pela minha vontade em atualizá-lo dia após dia. Claro, houve momentos em que pensei em desistir, e estes para mim eram os maiores sinônimos de fracasso. Mas posso garantir que os dias em que tive vontade de seguir em frente foram imensamente mais numerosos e intensos.

Muita coisa mudou nestes dez anos. Pessoalmente e profissionalmente, se evolui muito dos 23 para os 33 anos de idade, lógico, mas também esportivamente muita coisa aconteceu nesta década, e o Carta na Manga contou várias dessas histórias. Tivemos a felicidade de registrar aqui momentos históricos do nosso querido esporte, como um título mundial (e outros tantos) do Inter, uma troca de estádio (e uma goleada histórica em clássico) do Grêmio, uma Copa do Mundo disputada em nossa casa - a qual pude cobrir no próprio Beira-Rio pela querida Gazeta Esportiva, veículo ao qual só cheguei por ter evoluído enormemente meu texto jornalístico aqui no Carta - e, sábado passado, a tão esperada medalha de ouro olímpica do futebol brasileiro.

Fomos também um dos primeiros blogs independentes de jornalismo esportivo a criar e manter um programa de rádio semanal - o Carta na Mesa, primeiro na Fabico, depois na Rádio Estação Web, e esse pioneirismo me enche de orgulho, sentimento que até nem valorizo tanto. Não foi só cobrir a Copa, portanto: foi ser colunista, apresentador de uma mesa redonda e comentarista de jogo ao vivo em rádio. Muitos sonhos de infância se tornaram possíveis por conta deste espaço aqui. Imaginem o tamanho do carinho que tenho por ele.

Muito, mas muito, mas muito obrigado mesmo a todos vocês, que já acessaram, comentaram, curtiram, criticaram, colaboraram com textos, com participações radiofônicas e que de alguma forma interferiram positivamente nesta história, que é uma das mais legais da minha vida pessoal e profissional. Confesso que não imaginava chegar a 10 anos atualizando o Carta, e não tenho a mínima ideia de até quando vou seguir mantendo os trabalhos por aqui. A falta de maiores pretensões talvez seja o grande segredo para tanta vontade de seguir em frente: pensando dia após dia, sem maiores planos, me sinto feliz demais de continuar. Valeu, gente querida!

Comentários

Marcus Staffen disse…
Vicente,

Confesso que nem me recordo como conheci o blog, mas virei leitor diário dos textos e ouvinte dos programas.

Parabéns pelo excelente e diferenciado trabalho que realiza. Que venham mais dez anos!!!

Forte abraço,

Marcus Staffen
Chico disse…
Minha nossa! 10 anos já. Quem diria meu velho amigo. Parabéns pelo aniver do blog. Abração
Vicente Fonseca disse…
Muito obrigado, meus caros amigos Marcus e Chico. É uma honra sempre contar com a leitura e participação de vocês. Grande abraço!!
Lourenço disse…
Que bela data, parabéns pelo Carta pela década de glórias e de bom jornalismo.

O primeiro comentário foi meu:
"Apesar de defensor do Escalona e do Herrera, creio que Vicente é uma voz a ser ouvida na crônica esportiva. Informado, ponderado e dotado de uma perspicácia ímpar, tem muito a acrescentar. Pretendo ser um leitor freqüente deste espaço e espero que os teus posts, Vicente, também o sejam. Forte abraço do irmão e sucesso!"

Acertei. Em tudo.
Vicente Fonseca disse…
Comentário inesquecível!