Eles nem fizeram falta

Duas das maiores expressões técnicas do Internacional, os meias Alex e D’Alessandro, foram expulsos na última rodada do Gauchão e não puderam atuar ontem. Mas o colorado mostrou grupo: Andrezinho e Taison, os dois substitutos, foram os melhores em campo na suada, importante e problemática vitória de 1 a 0 sobre o São Luiz, em Ijuí.

Itamar Schülle seguiu a instrução de Celso Roth captada pela imprensa antes do primeiro Gre-Nal de 2008: explorou o famoso “lado lento”, o esquerdo de defesa, com Marcão em jornada especialmente infeliz, sendo envolvido pelos adversários, não voltando a tempo para a cobertura, dando trabalho extra aos volantes e a Álvaro e, de quebra, quase marcando um gol contra bisonho no segundo tempo. Os primeiros 15 minutos foram de pressão do time da casa, que tentava definir a vantagem cedo.

Faltava, porém, qualidade ao São Luiz. Mesmo para um time do interior, sobrou precipitação acima do normal na hora de definir as jogadas. Barão e Maurício começaram bem, tramando nas costas do lateral-esquerdo colorado. A melhor chance veio aos 12, com Ronaldo Capixaba arrematando mal, na trave de Lauro. Passado o susto, o Inter foi entrando no jogo. O gol surgiu quando as primeiras arrancadas de Taison e Nilmara pereciam. Numa delas, o centroavante cavou falta batida com extrema categoria por Andrezinho, que deslocou o goleiro como só os grandes batedores fazem. É justamente a qualidade que definiu o jogo em favor do Inter, e não do São Luiz.

Após uma segunda metade de etapa inicial onde o domínio foi da equipe de Porto Alegre, o São Luiz voltou decidido em busca do empate, mas oferecia o contra-ataque. O jogo ficou aberto e muito interessante. De um lado, a bravura, mas pouca técnica, do time da casa; do outro, a maior qualidade, porém ainda sem embocadura, dos colorados. A maior posse de bola ofensiva do São Luiz propiciou poucas chances reais de ameaçar o ontem inseguro Lauro. O Internacional, ao contrário, não teve tanto a bola nos pés, mas criou as melhores chances, normalmente em contra-golpes comandados por Taison, que voltou a ir muito bem, sendo vertical e envolvente. Do lado do São Luiz, destaque para o raçudo volante Coracini, para o firme zagueiro Juliano (ganhou quase todas de Nilmar) e o goleiro Oliveira, que fez três grandes defesas no segundo tempo.

O Inter ainda não teve uma atuação realmente convincente nestas três primeiras rodadas de Gauchão. Entretanto, vai conseguindo as duas coisas mais importantes para um começo de temporada: vence e mostra opções em seu grupo de jogadores. E se Kleber e Alecsandro vêm aí, parece que no próprio grupo é que está o reforço que mais vai correspondendo neste início de 2009: Taison, que inicia a temporada com a redundante promessa de não ser mais promessa, para virar reforço de verdade e dor de cabeça das boas para Tite.

Em tempo:
- Os volantes seguem sendo problemas. Sem Guiñazu, o Inter ficou na dependência do fraco Maycon, enquanto Magrão e Rosinei seguem sem corresponder. Aí está uma necessidade de reforço, mesmo que Sandro e Paulinho mereçam ainda ser observados.

- Se Marcão foi um problema, Bolívar foi intransponível. Mesmo que raramente saia para o apoio, o São Luiz não ousou tramar nada pelo seu lado.

Campeonato Gaúcho 2009 – Taça Fernando Carvalho – 3ª rodada
28/janeiro/2009
SÃO LUIZ 0 x INTERNACIONAL 1
Local: 19 de Outubro, Ijuí (RS)
Árbitro: Leonardo Gaciba
Público: não divulgado
Renda: não divulgada
Gol: Andrezinho 25 do 1º
Cartão amarelo: Nem, Bolívar e Marcão
SÃO LUIZ: Oliveira (7), Nem (5,5) (Gabriel, 16 do 2º - 4,5), Juliano (6) e Neguetti (5,5); Barão (5) (Geraldo, intervalo – 5), Coracini (6), Carlos Lima (4,5), Maurício (5,5) (Alan, 25 do 2º - 4,5) e Alex Albert (4,5); Xaro (5) e Ronaldo Capixaba (4,5). Técnico: Itamar Schülle (5,5)
INTERNACIONAL: Lauro (5), Bolívar (6), Danny Morais (5,5), Álvaro (5,5) e Marcão (4) (Marcelo Cordeiro, 36 do 2º - sem nota); Maycon (5), Magrão (5), Rosinei (5), Andrezinho (7) e Taison (7); Nilmar (5) (Tales Cunha, 36 do 2º - sem nota). Técnico: Tite (5,5)

Foto: Alexandre Lops

Comentários

Prestes disse…
Achei o Maicon e o Magrão bem. O Rosinei tem que ser dispensado.

Que gol que perdeu o Capixaba, nossa senhora!
Pedro Heberle disse…
Concordo com o Prestes. Cabe lembrar que o Maycon começou 2008 muito bem e depois foi parado pela hepatite e por uma lesão.

Agora, quanto à esquerda eu estou com uma pulga me incomodando:

Kléber é titular, indiscutivelmente. Segundo o Ricardo Vidarte, Gustavo Nery ganha 120 mil por mês – teria que ser dispensado se ganhasse 60 mil. Ainda assim, sobram dois. Pergunto:

Terá a diretoria peito para colocar Marcão de terceiro reserva, considerando-se que até agora Marcelo Cordeiro deu resposta tão positiva?
Prestes disse…
Cara, não acredito (não quero acreditar) que o Nery ganhe 120 mil. Chute.

Mas há uma cosa. O Nery não é mais considerado lateral-esquerdo. Ele está no grupo como meio-campo.
Olha, quando o Gustavo Nery foi contratado, o que falavam é que ele ganharia um salário nos padrões do que se ganhava no Beira-Rio, mas seria um salário proporcional ao seu desempenho. Lembram desse papo?

E não sei vocês, mas o que tá me encucando sobre o Inter é a lateral direita. O Bolívar vai embora no meio do ano, porque tá aqui por empréstimo. Vai entrar quem no lugar? Vão gastar um caminhão de dinheiro pra trazer um Maicon da vida e rearrumar o time de novo lá por setembro?
Pedro Heberle disse…
Sim, Prestes, mas se for esse salário não justifica a permanência em qualquer setor.

E é verdade, Fred. Eu espero de todo o coração que esse Arilton do Coritiba engrene.

Se não...
Vicente Fonseca disse…
Boa essa lembrança do Fred. Acho que o Inter trará alguém ou tentará renovar o empréstimo do Bolívar.

O Marcelo Cordeiro é bom jogador, fez um bom Brasileirão. Pode incomodar o Kléber se ele tiver a preguiça que teve em 2008 pelo Santos.

Prestes elogiando Magrão é café-com-leite já. jhfdjdfjdfkj
Prestes disse…
MAGRÃO PRA PRESIDENTE DJÁ!