Intolerância ao baixo nível

Dois grandes times em campo, estádio lotado, equipes num atraente 4-3-3. Os ingredientes para o jogo entre São Paulo e Fluminense indicavam que veríamos um espetáculo da melhor qualidade. Portanto, é no mínimo curioso que um dos jogos mais aguardados do Campeonato Brasileiro tenha sido decidido em erros bisonhos de zagueiros das duas equipes. Talvez tenha valido a velha máxima de que, em jogos equilibrados e de alta qualidade, qualquer erro é fatal. Gum e Rafael Tolói que o digam.

O placar, no entanto, reflete o que foi o confronto. Foi uma partida equilibrada, de alternância de domínios. O primeiro tempo foi um tanto truncado. São Paulo e Fluminense se respeitaram muito, tiveram pouca ousadia. O time paulista teve leve superioridade, nada que o fizesse merecer uma vantagem parcial. Com três atacantes, o time de Ney Franco nem por isso foi mais ofensivo. Faltou um companheiro para ajudar Jadson na criação. Lucas foi bastante participativo, mas Osvaldo foi dispensável, bem marcado. No Flu, o mesmo problema: Thiago Neves atuou isolado na articulação. Wellington Nem foi bem, mas Rafael Sobis pouco participou.

O segundo tempo começou com o gol são-paulino, em uma rara pichotada do seguro Gum, bem aproveitada pelo oportunista Luís Fabiano. Não fosse este gol, provavelmente teríamos uma etapa final tão pouco emocionante quanto a primeira. Mas a desvantagem fez o Fluminense ir para cima, algo a que o time não está tão acostumado. Aos 18, veio o erro do superestimado Rafael Tolói, que perdeu para Samuel, que tocou para Fred: 1 a 1.

Dali em diante, o jogo ficou corrido. E com o Fluminense melhor. Com boas escapas de Carlinhos por um lado e Wellington Nem por outro, o time carioca esteve muito mais perto da vitória. Thiago Neves entrou no jogo e fez o time jogar. A saída de Sobis e entrada de Samuel, de fato, melhorou a equipe, deu-lhe mais ânimo. Gum, o culpado pelo gol sofrido, quase se redimiu maravilhosamente ao tentar encobrir Rogério Ceni. Seria o roteiro perfeito do título, que segue muito próximo.

O Fluminense pode até ver o Atlético-MG diminuir para 6 pontos a vantagem daqui a pouco, mas ainda tem uma vantagem muito grande. Hoje, apesar de não ter vencido, fez uma de suas melhores partidas em todo o campeonato. Acusado por muitos de ser um time que ganha mais do que deve mas joga menos do que pode, o Flu dominou o São Paulo no segundo tempo, algo raro de acontecer no Morumbi, ainda mais na fase em que se encontra o Tricolor Paulista.

O resultado acabou sendo ótimo para o Grêmio, que não perde a posição na próxima rodada nem que seja derrotado no confronto direto do domingo que vem, no Olímpico. E para o Atlético-MG, claro, que ainda tem ao menos o direito de sonhar com o título.

Em tempo:
- Maior público do Brasileirão: mais de 54 mil torcedores no Morumbi.

CAMPEONATO BRASILEIRO 2012 - 34ª RODADA
SÃO PAULO (1): Rogério Ceni; Douglas, Rafael Tolói, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denílson e Jadson (Willian José); Lucas, Luís Fabiano e Osvaldo (Ademílson). Técnico: Ney Franco
FLUMINENSE (1): Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Thiago Neves; Wellington Nem, Fred e Rafael Sobis (Samuel). Técnico: Abel Braga
Local: Estádio do Morumbi, São Paulo (SP); Data: domingo, 04/11/2012, 17:00; Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR); Público: 54.118; Gols: Luís Fabiano 4 e Fred 22 do 2º; Cartão amarelo: Wellington, Luís Fabiano e Gum

Comentários